Haloterapia

Sabia que mais de 40% da população portuguesa apresenta sintomas de problemas respiratórios, e cerca de um quarto da população sofre de alergias dessa natureza? Estes números são dados do Observatório Nacional das Doenças Respiratórias (ONDR) e da Associação Nacional de Tuberculose e Doenças Respiratórias (ANTDR). O rastreio foi efetuado em Lisboa, Cascais, Vila Nova de Gaia e Coimbra, por ocasião do Mês do Pulmão.

A maioria das terapias medicadas para doenças respiratórias, mais recorrentes, têm uma ação paliativa não sendo eficaz na cura, a médio e longo prazo, e os efeitos secundários são mais significativos. Assim, uma terapia física como a haloterapia é o caminho a seguir.

O que é?

A Haloterapia - derivado do grego halo, que significa "sal" - é uma reconhecida abordagem terapêutica, aplicada há vários séculos, no alívio de sintomas de doenças respiratórias e dermatológicas. O sal é o elemento principal da Haloterapia, sendo utilizado para maximizar os efeitos no bem estar do corpo humano. Tem capacidades anti-inflamatórias, anti-bacteriana e mucolítica e, quando inalado, reduz a inflamação das vias respiratórias e fortalece o sistema imunitário.

A haloterapia pertence à categoria das terapias físicas, holísticas, e está associadas com os tratamentos termais levados a cabo na Europa Oriental. Na antiga União Soviética, investigadores desenvolveram terapias físicas, com o objetivo não só de poupar os efeitos secundários das terapias medicadas assim como em reduzir custos.

Atualmente, a haloterapia é reconhecida como tratamento complementar ao modelo biomédico certificadas pela diretiva da U.E. nº CE93/42EEC de produtos médicos podendo serem usadas sem limites em qualquer prática médica de qualquer país da U.E.

Esta terapia aplica-se de diferentes formas: inalação de soluções salinas, irrigação e lavagem, banhos de sal e até ingestão de água salgada. O tratamento haloterapêutico é também reproduzido através da inalação de sal de grau farmacológico numa gruta de sal. Os primeiros métodos desta terapia através de sala artificial de sal, em que as condições ambientais eram controladas, remontam ao início dos anos 80.

Assim, a haloterapia atua em três áreas principais:

  • Pulmões e doenças respiratórias: asma, bronquite crónica, tosse de fumadores, fibrose cística, enfisema, amigdalite, otite média e faringite, tosse, gripe, constipações, febre do feno, rinite, sinusite e repetidas infeções virais;
  • Pele e doenças dermatológicas: eczema e psoríase;
  • Saúde mental: stress, cansaço e depressão.

Haloterapia_A quem se recomenda

Haloterapia_Regras da Sala

Haloterapia_Como funciona